ASSOCIAÇÃO GEOFILOSÓFICA DE ESTUDOS ANTROPOLÓGICOS E CULTURAIS
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background

Platão

plataoPlatão nasceu em Atenas, provavelmente em 427 a.C. e morreu em 347 a.C. É considerado um dos principais pensadores gregos, pois influenciou profundamente a filosofia ocidental. Suas ideias baseiam-se na diferenciação do mundo entre as coisas sensíveis (mundo das ideias e a inteligência) e as coisas visíveis (seres vivos e a matéria).

Filho de uma família de aristocratas, começou seus trabalhos filosóficos após estabelecer contato com outro importante pensador grego: Sócrates. Aos vinte anos, Platão travou relação com Sócrates - mais velho do que ele quarenta anos - e gozou por oito anos do ensinamento e da amizade do mestre. Quando discípulo de Sócrates e ainda depois, Platão estudou também os maiores pré-socráticos. Em 387 a.C, fundou a Academia, uma escola de filosofia com o propósito de recuperar e desenvolver as ideias e pensamentos socráticos. Convidado pelo rei Dionísio, passa um bom tempo em Siracusa, ensinando filosofia na corte.

Ao voltar para Atenas, passa a administrar e comandar a Academia, destinando mais energia no estudo e na pesquisa em diversas áreas do conhecimento: ciências, matemática, retórica (arte de falar em público), além da filosofia. Suas obras mais importantes e conhecidas são: Apologia de Sócrates, em que valoriza os pensamentos do mestre; O Banquete, fala sobre o amor de uma forma dialética; e A República, em que analisa a política grega, a ética, o funcionamento das cidades, a cidadania e questões sobre a imortalidade da alma. Sua obra é um dos maiores legados da Humanidade, abrangendo debates sobre ética, política, metafísica e teoria do conhecimento. Dos filósofos da Antiguidade, Platão é o primeiro de quem se conhece a obra integral.

Em Platão, a filosofia ganha contornos e objetivos morais, apresentando assim soluções para os dilemas existenciais. Esta práxis, porém, assume no intelecto a forma especulativa, ou seja, para se atingir a meta principal do pensamento filosófico, é preciso obter o aprendizado científico. O âmbito da filosofia, para Platão, se amplia, se estende a tudo que existe. Segundo o filósofo, o homem vivencia duas espécies de realidade – a inteligível e a sensível. A primeira se refere à vida concreta, duradoura, não submetida a mudanças. A outra está ligada ao universo das percepções, de tudo que toca os sentidos, um real que sofre mutações e que reproduz neste plano efêmero as realidades permanentes da esfera inteligível. Este conceito é concebido como Teoria das Idéias ou Teoria das Formas.

Segundo Platão, o espírito humano se encontra temporariamente aprisionado no corpo material, no que ele considera a ‘caverna’ onde o ser se isola da verdadeira realidade, vivendo nas sombras, à espera de um dia entrar em contato concreto com a luz externa. Assim, a matéria é adversária da alma, os sentidos se contrapõem à mente, a paixão se opõe à razão. Para ele, tudo nasce, se desenvolve e morre. O Homem deve, porém, transcender este estado, tornar-se livre do corpo e então ser capaz de admirar a esfera inteligível, seu objetivo maior. O ser é irresistivelmente atraído de volta para este universo original através do que Platão chama de amor nostálgico, o famoso Eros platônico.

Ideias de Platão para a educação
Platão valorizava os métodos de debate e conversação como formas de alcançar o conhecimento. De acordo com Platão, os alunos deveriam descobrir as coisas superando os problemas impostos pela vida. A educação deveria funcionar como forma de desenvolver o homem moral. A educação deveria dedicar esforços para o desenvolvimento intelectual e físico dos alunos. Aulas de retórica, debates, educação musical, geometria, astronomia e educação militar. Para os alunos de classes menos favorecidas, Platão dizia que deveriam buscar em trabalho a partir dos 13 anos de idade. Afirmava também que a educação da mulher deveria ser a mesma educação aplicada aos homens.

Seu pensamento influencia ainda em nossos dias teorias políticas, psicológicas – como a junguiana -, filosóficas, espirituais, sociológicas, entre outros segmentos do conhecimento humano.

"Vencer a si próprio é a maior de todas as vitórias."
"Praticar injustiças é pior que sofrê-las."
"A harmonia se consegue através da virtude."
"A educação deve possibitar ao corpo e à alma toda a perfeição e a beleza que podem ter."
“Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz. “
“Tente mover o mundo - o primeiro passo será mover a si mesmo. “
“Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida.”
“Uma vida não questionada não merece ser vivida.”
“Quem comete uma injustiça é sempre mais infeliz que o injustiçado.”
“O livro é um mestre que fala mas que não responde.”
“O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê...”
“Muitos odeiam a tirania apenas para que possam estabelecer a sua.”
“Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.”
“A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento.”
“Onde não há igualdade, a amizade não perdura.”
“O cansaço físico, mesmo que suportado forçosamente, não prejudica o corpo, enquanto o conhecimento imposto à força não pode permanecer na alma por muito tempo.”
“A parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemos.”
“A paz do coração é o paraíso dos homens.”
“Devemos aprender durante toda a vida, sem imaginar que a sabedoria vem com a velhice.”
“Não eduques as crianças nas várias disciplinas recorrendo à força, mas como se fosse um jogo, para que também possas observar melhor qual a disposição natural de cada um.”
“Tudo quanto vive provém daquilo que morreu.”
“As grandes naturezas produzem grandes vícios, assim como grandes virtudes.”
“O homem retrata-se inteiramente na alma; para saber o que é e o que deve fazer, deve olhar-se na inteligência, nessa parte da alma na qual fulge um raio da sabedoria divina.”
“O sábio fala porque tem alguma coisa a dizer; o tolo porque tem que dizer alguma coisa.”
“Não deverão gerar filhos quem não quer dar-se ao trabalho de criá-los e educá-los.”
“O homem inteligente aprende com seus próprios sofrimentos; O homem sábio aprende com os sofrimentos alheios.”
“Errar é humano, mas também é humano perdoar.
Perdoar é próprio de almas generosas.”
“Quando a mente está pensando, está falando consigo mesma.”
“Tenho irmãos, pai, mas não tenho mãe. Quem não tem mãe, não tem família.”
“A pobreza não vem da diminuição das riquezas, mas da multiplicação dos desejos”
“Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso.”
“A sabedoria consiste em ordenar bem a nossa própria alma”
“O que ama é, de certa maneira, mais divino que o objeto amado, pois possui em si divindade; é possuído por um deus.”
“O sábio que tudo sabe é aquele que sabe que nada sabe.”
“Filosofar é aprender a morrer.”

 

Fontes:
www.suapesquisa.com
www.infoescola.com
pensador.uol.com.br